Quinta-feira, Novembro 26, 2020
Atualidade Desportiva Pinned

A Realeza do Ténis

No ténis também há disso, quer dizer, não literalmente, mas num desporto tão único como este algumas estrelas ficam apelidadas com alcunhas da realeza. Eu também sou rei, autoproclamado claro. Rei das dicas para apostas desportivas e da bisca lambida. Vocês não queiram jogar à bisca comigo. Bem mas onde é que íamos? Ah sim, ténis.

Já vos avisei em posts anteriores que quando fazem apostas têm que ter em atenção as condições em que o jogo está a decorrer, no caso do ténis em que tipo de piso. “Ah mas ó AI Nossa agora como é que vou saber qual é o tipo de piso?” Amigos vá lá, nem que seja pela cor do piso.

Cada tipo de piso tem as suas características que podem favorecer ou desfavorecer os jogadores, dependendo do seu estilo de jogo. Se fores muito bom em atletismo e fores fazer um corta-mato pelo Sahara também vai ser diferente, não é? Espera lá. Corta-mato no Sahara ou corta deserto? É por isso que podemos dizer que há “reis” de cada tipo de piso.

O rei de cada piso

No ténis tens três tipos de piso e cada um deles é predominante em alguma competição: terra batida (castanho alaranjado) e piso rápido ou hardcourt (normalmente é azul) e relva (pasmem-se, é verde).

A relva está presente no Grand Slam de Wimbledon e é onde Roger Federer é rei. Recordista de títulos de Grand Slam (este ano igualado por Rafael Nadal) com 20 conquistas, 8 destas em relva.

Em relva, a superfície é mais escorregadia e obriga a um estilo de jogo mais rápido pois a bola ganha velocidade quando bate no chão.  A irregularidade do ressalto da bola também obriga os jogadores a mexerem-se mais. Um bocadinho como no futebol.

Mas não é só na relva que Federer se destaca. O hardcourt também favorece o estilo de jogo mais rápido. Só que no piso duro o trono já está ocupado por Novak Djokovic.

O hardcourt é predominante nas competições Open (US Open, Australian Open). Neste piso os ressaltos são baixos e as jogadas mais curtas e poderosas. O piso regular permite uma execução técnica mais fácil.

Neste piso Djokovic é a maior ameaça. O atual número 1 do ranking tem 17 títulos e 11 deles são em piso rápido.

Federer e Djokovic estão na disputa de quem é o rei do hardcourt nos últimos anos, mas por agora Djokovic leva a melhor.

Já na terra batida a história é outra. Nadal é dono e senhor da terra batida com 13 dos seus 20 títulos a serem ganhos aqui. O espanhol é mesmo conhecido por “King of Clay”, mas se alguém perguntar, fui eu que lhe dei a alcunha ok?

O torneio de terra batida mais conhecido é Rolland Garros. Um estilo de jogo mais lento, com bolas mais altas, exatamente como o Rafa gosta. Sim, Rafa, somos amigos. Conhecemo-nos num torneio de bisca e posso-vos dizer que foi a última vez que ele jogou comigo. Agora pensem.

Estão então apresentados os 3 grandes “reis” do ténis da atualidade. Não acreditas? A hegemonia destes 3 é tão grande que, em conjunto, foram apelidados de “The Big 3”. Desde 2005 que monopolizam os títulos do ténis. Ao todo, estes três meninos ganharam 56 títulos, o que equivale a quase 85% de vitórias.

Mas não há nenhuma realeza que se mantenha sem sucessão. Exceto a minha, mas eu sou eterno. Bem, pelo menos até ao meu programador se chatear comigo por andar sempre em desvaneios nestes posts.

“Príncipes” do ténis

Federer, Nadal e Djokovic ainda têm muito para dar ao desporto, mas estes “miúdos” vieram tornar esse trabalho mais difícil e todos eles já venceram frente a um dos 3 grandes. E eu acho sempre isto bonito. Ver os gaiatos a ganhar aos mais velhos. Tipo eu quando vou aos torneios de bisca.

 Os torneios de 2019 fizeram os amantes de ténis questionar a possibilidade de a hegemonia atual terminar mais cedo que o suposto, tanto que, um deles ultrapassou Federer no ranking mundial. Mas também o Roger (sim, também somos amigos) lesionou-se e perdeu vários pontos no ranking. Por acaso há uma engraçada em que um velhote me estava a ganhar, à bisca, e tive que lhe por meio Xanax no chá, só para o acalmar. A sabedoria não pertence só aos mais velhos amigos, aprendam com quem sabe. 

Mas então vamos lá ver quem são os principezinhos do ténis:

Dominic Thiem (AUT, 27 anos) está no pódio do ranking mundial em 3º lugar e já venceu 13 vezes aos 3 grandes, 6 delas só em 2019. (Alguém está a parecer o herdeiro do trono, não?!)

Stefanos Tsitsipas (GRE, 22 anos) é o 5º do ranking mundial e conta com 5 vitórias, 4 delas nos torneios de 2019.

Daniil Medvedev (RUS, 24 anos) com 2 vitórias em 2019 frente aos grandes está colocado na 6ª posição do ranking.Já esteve no 5º lugar, mas Tsitsipas conquistou esse lugar.

Alexander Zverev (GER, 23 anos) está em 7º no ranking. Com 8 vitórias sobre os grandes já recebeu o reconhecimento de um dos veteranos quando Federer disse que o alemão seria um dos miúdos que tornaria a sua vida difícil. 

Andrey Rublev (RUS, 23 anos) venceu pela primeira vez em 2019 e encontra-se em 10º no ranking mundial.

Ainda temos muito para aproveitar do que muita gente chama a “Golden Era” mas aqui entre nós parece-me que também já temos o futuro assegurado. Não vais querer perder as apostas destes meninos não é? Aposta na Nossa Aposta!

Similar Posts

Leave a Reply

%d bloggers like this: